26 agosto 2013

Um algo

O mundo anda em guerra enquanto aqui dentro um algo deseja ser parido. Se contorce e esperneia durante os domingos de tédio maldito, durante as semanas rançosas, as festas com músicas ruins e os rostos sempre sem graça. O mundo anda em guerra e bombas estouram nas esquinas, a fúria é ouvida há quilômetros, as ruas são tomadas por ambulantes, advogados, músicos, médicos, pintores, funcionários públicos, estudantes, poetas, professores, grafiteiros, artistas e trabalhadores de todas as partes... E eu ando por essa multidão, observo cada grito e grito junto, mas aqui dentro, aqui nessa carne que sente uma necessidade terrível de preenchimento, aqui onde o sangue corre vermelho, humano e denso um algo anseia e me soca, no estomago, no coração e implora para encontrar um olhar similar nesse tumulto todo... 

...E alguém me disse uma vez que é amando que descobrimos o melhor de nós mesmos.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário